sábado, 19 de julho de 2008

Qual o Fundo do Poço?

Prezado(a)s,

Todos se perguntam:
Qual o Fundo do Poço?

Esta é a pergunta que vale ouro!

Efetivamente, não há bola de cristal para se dizer até onde o mercado pode ir, no caso presente, até onde ele pode despencar, porém é oportuno recordar os eventos passados para se ter uma idéia dos estragos feitos. Por isso abaixo relaciono as crises e seus impactos, a partir de 1986.



CRISE e o IMPACTO na cotação da Bolsa (em pontos), em US$.
1986
O fracasso do Plano Cruzado, do governo José Sarney, levou o Ibovespa a cair 90%, em 1986 e 1987. A recuperação veio nos dois anos seguintes, com alta de 200%
1990
O confisco de investimentos autorizado pelo governo Collor prejudicou o mercado por dois anos. Em 1993, porém, a alta foi de 110%
1994
A bolsa viveu um dos períodos mais longos de alta após o Plano Real. O único solavanco foi a crise do México, em 1995. Depois disso, a valorização foi de 220% até julho de 1997
1997
A crise da Ásia motivou a queda de 44% do Ibovespa no segundo semestre de 1997
1998
Com a crise da Rússia, o Ibovespa se desvalorizou 63%
1999
Após a desvalorização do real, o mercado operou em baixa por oito meses seguidos, perdendo 38%
2001
Uma combinação de três crises — o colapso da economia argentina, o apagão energético no Brasil e os atentados terroristas nos EUA — fez a bolsa cair 60% em oito meses. A recuperação veio em apenas três meses
2002
O temor de uma presidência do PT levou o Ibovespa a uma baixa de 65% entre janeiro e outubro. Em 2003, porém, a alta foi de 140%
2006
A alta dos juros nos Estados Unidos, comandada por Ben Bernanke, presidente do Fed, derrubou os preços das ações em 30%. A retomada foi rápida e, no ano, o Ibovespa subiu 46%
2007
Os problemas no mercado de hipotecas de alto risco nos Estados Unidos contaminaram a economia e fizeram o Ibovespa cair 28%. A recuperação, porém, foi rápida: o mercado voltou a subir em menos de um mês
2008
A piora da crise americana e a alta da inflação em diversos países tornaram a prejudicar a bolsa, que caiu 20% entre o fim de maio e o início de julho.

Qual a Grande Lição a se tirar disso tudo?
Bolsa é para quem tem claro que há ciclos de alta e de baixa, pior do que entrar no momento inoportuno é sair na hora errada!

BON$ INVE$TIMENTO$!

2 comentários:

RobertoCarlos disse...

O autor Mauro Halfeld em seu livro "Investimentos" (pág 66) cita que a crise do Plano Cruzado, que teve seu pico em abril de 1986, só obteve recuperação em dólar no mês de janeiro de 1994, oito anos mais tarde.
Fiquei na dúvida agora...

BUSSOLA DE FINANCAS disse...

Prezado Roberto,
Primeiramente agradeço sua postagem.
Quanto ao Livro, não sei qual a fonte que o autora utilizou, mas eu pesquisei na Bovespa e ratifiquei os dados com a ENFOQUE.
Vale recordar que:
1-O Plano Cruzado ocorreu em Fev/86 e gerou um "frisson" no mercado, a bolsa repercutiu positivamente, até o AGIO DOS PREÇOS.
Lembra-se do Fiscal do Sarney???
Em novembro/86 havia despencado!
2 - Em Out/87 houve o Crash da Bolsa de NY.
Antes porém tivemos, no Brasil, em JAN/87 a MORATORIA DO SARNEY!!!
3 - EM 1988 a Bolsa inicia sua recuperação, temos um fato importante que em OUT/88 a CONSTITUICAO foi aprovada.

Um abs