quarta-feira, 13 de agosto de 2008

SAIBA RECONHECER UMA AÇÃO EX!

Prezado(a)s,

Uma dúvida muito comum entre investidores é sobre as correções de preço que uma ação pode sofrer na Bolsa.

Muito investidores gostam de ações que pagam bons dividendos, muitas empresas definem pagamentos regulares de Juros sobre Capital Próprio (JCP) e/ou Dividendos para entrar na mira destes investidores.

Porém, quando a empresa paga efetivamente o JCP ou Dividendo, o último preço de fechamento de suas ações é ajustado para baixo, descontando o valor pago. O novo preço de fechamento teórico é chamado de preço EX.

Há vários eventos que podem gerar correções teóricas de preços históricos, ou preços EX.

As mais comuns são:

- Bonificação: Ocorre sempre que uma empresa distribui ações aos acionistas para ajustar diferenças de patrimônio líquido. Como o valor de mercado da empresa não muda, mas o número de ações em circulação sim, o preço da ação deve ser ajustado teoricamente.

- Dividendo ou Juros sobre Capital Próprio: Embora sejam dois eventos diferentes, o efeito prático no preço das ações é o mesmo. Se uma ação fechar em uma sexta-feira cotada a R$ 100 / ação e pagar um Dividendo ou JCP de R$ 1 / ação ao acionista, na segunda-feira o preço teórico do último fechamento será de R$ 99 / ação (100 - 1).

- Subscrição: Se a empresa faz uma chamada de capital aos acionistas, ou seja, distribui novas ações no mercado e aumenta o seu patrimônio líquido, o preço destas novas ações deve sempre ser menor do que o preço de mercado. Isto faz com que um ajuste teórico seja necessário para equalizar os preços de todas ações (novas e antigas) em uma mesma cotação.

- Grupamento: Muitas vezes o preço de uma ação fica muito baixo, na casa de centavos, e dificulta análises e operações de maior volume. Neste caso, a empresa normalmente agrupa várias ações antigas e troca por apenas 1 ação nova. Assim, um investidor que possuía 1.000 ações desta empresa, após um grupamento de 500 para 1 por exemplo, terá apenas 2 ações, ou 1.000 / 500. Só que o valor financeiro que ele possuía não pode mudar, então o que muda é a cotação da ação, que neste caso vai subir bastante.

- Desdobramento: é o inverso do Grupamento. Ações de empresas sólidas que se valorizam muito na bolsa acabam ficando caras demais, a ponto de perder compradores simplesmente porque eles não têm dinheiro para comprar um lote mínimo de 100 ações. Quando isto ocorre, as empresas podem desdobrar 1 ação em várias, mas normalmente em 2 ações. Assim, um desdobramento de 1 para 2 faz com que o preço da ação caia pela metade, uma vez que dobra o número de ações em posse dos acionistas.

UM CASO PRÁTICO – PETROBRAS (PETR4)
A ação preferencial de Petrobras - PETR4 - fechou cotada em 25/04/2008 a R$ 84,30 / ação.

Com isto o lote padrão de 100 ações de PETR4 custava R$ 8.430, caro demais para vários investidores pequenos.

A empresa definiu em comunicado ao mercado que iria dobrar o número de ações em circulação por meio de um Desdobramento a partir de 25/04/2008. Sendo assim, quem tinha 1 ação passou a ter 2.

Um investidor desavisado poderia achar que a sua posição acionária tinha dobrado, mas longe disso, a posição acionária de todos os acionistas ficou igual.

O patrimônio líquido da empresa também continuou igual, então o que mudou?

Resposta: A Cotação.

Uma pessoa que tinha comprado 100 ações de PETR4 no fechamento de 25/04/2008 por R$ 8.400, acordou em 28/04/2008 com 200 ações, mas continuou com os mesmos R$ 8.400 em custódia. Para isto ser possível a Bovespa aplicou um cálculo a última cotação de fechamento de R$ 84,30 e modificou-a para R$ 42,15, ou 84,30 / 2. O primeiro negócio do dia 28/04/2008 saiu pela cotação de R$ 42,58 / ação, ou uma alta de 1% sobre o fechamento teórico anterior de R$ 42,15 / ação.

Pelo exemplo acima conseguimos ver que o desdobramento foi positivo para as ações da Petrobras, pois realmente atraiu mais investidores e fez com que isto criasse valor as acionistas.


MAS E O GRÁFICO DA AÇÃO?
É importantíssimo que o investidor que usa a Análise Gráfica fique atento aos preços EX, pois sempre que uma cotação é ajustada teoricamente, não é apenas o último fechamento que é afetado, mas sim todo o histórico da ação.

Lembrando que muitos indicadores dependem do preço para serem calculados, então um gráfico de preço errado vai levar a um gráfico de indicador errado. Óbvio que isto fará com que a tomada de decisão sobre compra ou venda sairá errada.

BON$ INVE$TIMENTO$!

Um comentário:

Carla Mherlyn Viveiros Weiland disse...

Olá,
como fico sabendo destas mudanças como seu exemplo da PETR4 e como posso identificar essa mudança no gráfico?
Realmente seu blog é uma bússola, parabéns!
Abraço,
Carla Weiland