segunda-feira, 15 de junho de 2009

SELIC & DIVIDENDOS

Prezados,

Com a SELIC em 9,25% ao ano, os dividendos pagos pelas empresas que já eram uma forma de quem aplica em bolsa garantir um mínimo de retorno, já que a valorização dos papéis no pregão é algo bastante incerto, passaram a ter ainda mais destaque.

Só com os dividendos, os investidores podem ganhar mais do que se deixassem o dinheiro aplicado na renda fixa. Se um investidor conseguir num fundo de Depósito Interfinanceiro (DI) retorno de 100% da nova taxa de juros, de 9,25% ao ano, algo muito difícil nos fundos de varejo, e ficar mais de dois anos na aplicação, pagando, portanto, 15% de imposto de renda, terá um ganho líquido de 7,86%. Isso sem considerar o pagamento da taxa de administração ou de qualquer outro tipo de tarifa cobrada pelos bancos. Acontece que existem várias empresas que distribuem, sob a forma de dividendos, mais do que esse percentual, valor já livre de imposto

ACOMPANHAR DIVIDEND YIELD PASSA A TER MAIS CHARME !
Mais do que o valor absoluto, o que conta de fato é a relação do dividendo pago pela companhia e o preço da ação em bolsa, conhecida como "dividend yield". Em outras palavras, esse indicador mostra quanto do total pago na ação o investidor terá de volta só com a distribuição de dividendos. Isso sem contar qualquer valorização que o papel possa ter na bolsa. Pelo menos 12 entre as grandes empresas listadas na Bovespa possuem um "dividend yield" superior a 10%. Ou seja, os investidores que compraram esses papéis tiveram pelo menos 10% de retorno líquido, isso considerando que as ações não subiram um centavo sequer na bolsa.

MAS ONDE BUSCAR RETORNOS EM DIVIDENDOS?
Historicamente, empresas de gás, como energia elétrica, telefonia, saneamento e concessões rodoviárias, estão entre as boas pagadoras de dividendos. Como são setores mais maduros, as companhias fazem menos investimentos no próprio negócio. Consequentemente, sobra uma fatia maior do lucro para ser distribuída aos acionistas.

Na sexta-feira, primeiro pregão da Bovespa depois de o Comitê de Política Monetária (Copom) ter reduzido a taxa de juros de 10,25% para 9,25% ao ano, algumas ações de energia estiveram entre as maiores altas do dia. Como, por exemplo, os papéis da Eletropaulo, Copel, Cemig, Eletrobrás e Transmissão Paulista. Esse comportamento já é um sinal da movimentação dos investidores em busca das boas pagadoras de dividendos.
 
Os fundos de pensão, por exemplo, serão obrigados a buscar investimentos de maior risco para bater suas metas atuariais e, portanto, garantir o pagamento de seus aposentados. O mesmo raciocínio vale para as pessoas físicas que desejam ter um colchão de ganho certo em ações.
 
Para aqueles que querem investir nesses papéis, é importante ter em mente que, em momentos de grande valorização da bolsa, eles costumam subir menos pelo seu caráter defensivo. Geralmente, quando o mercado sobe, as empresas que estão em fase de crescimento são as que mais se beneficiam. No entanto, quando o mercado entra num período de baixa, as boas pagadoras de dividendos são as que menos caem, servindo como uma espécie de colchão para amortecer as quedas dentro de uma carteira de investimento. 
 
 

domingo, 14 de junho de 2009

quinta-feira, 11 de junho de 2009

SELIC HISTORICA DE 1 DIGITO...

Prezados,

Ao encontro dos otimistas (onde me enquadrava), o COPOM reduziu a SELIC para 9,25% aa.

MAS NÃO FOI UNÂNIME....
Foram seis votos a favor do corte e dois sugerindo um de 0,75 ponto percentual, conforme comunicado.

Esta é a menor taxa desde que a Selic passou a ser usada como meta da política monetária, em 5 de março de 1999. Foi a quarta redução consecutiva. Após a divulgação de que o Produto Interno Bruto recuou 0,8% no primeiro trimestre - abaixo do esperado - alguns analistas esperavam uma redução menor da taxa (em 0,75% para ser exato).

"Levando em conta que mudanças da taxa básica de juros têm efeitos sobre a atividade econômica e sobre a dinâmica inflacionária que se acumulam ao longo do tempo, o comitê concorda que qualquer flexibilização monetária adicional deverá ser implementada de maneira mais parcimoniosa", comentou a nota oficial, indicando cortes menores nos próximos encontros.

De acordo com o comunicado, "o Copom acompanhará atentamente a evolução do cenário prospectivo para a inflação até a sua próxima reunião, para então definir os próximos passos da estratégia de política monetária".



quarta-feira, 10 de junho de 2009

RESUMO DA TERÇA, DIA 09/06/09.

Prezados,

Hoje saiu o anúncio da queda do PIB: - 0,8%. Associado a isto a Petrobras anunciou ontem, após fechamento do mercado, redução do preço da gasolina e diesel em suas refinarias, e no conjunto da obra o clima no cenário internacional não está tão eufórico, o que resultou em uma queda na Bolsa hoje.

terça-feira, 9 de junho de 2009

IPO Visanet vem aí....Periodo de reserva será entre 17 e 24 de junho

Prezados,

A VisaNet Brasil, empresa de meios de pagamento eletrônico que tem como acionistas o Bradesco, o BB Investimentos, o Grupo Santander e a Visa International, fará uma oferta pública secundária de ações no Novo Mercado da Bolsa de Valores de São Paulo (Bovespa), em uma operação que compreende, inicialmente, 477.674.330 ações de titularidade dos acionistas vendedores.

O intervalo de preço sugerido vai de R$ 12 a R$ 15. Considerando- se o valor médio do intervalo, de R$ 13,50, a operação totalizaria R$ 6,449 bilhões, sem considerar o exercício do lote suplementar ou a opção de ações adicionais.

A quantidade total de ações inicialmente oferecida poderá ser acrescida de lote suplementar de até 71.651.149 ações, ou até 15% do total inicial. A operação prevê ainda, sem prejuízo da colocação do lote suplementar, a oferta de ações adicionais equivalentes a até 20% do total inicial, ou 95.534.866 ações.

As ações serão colocadas em regime de garantia firme, com esforços de venda no exterior. O coordenador líder da operação é o Bradesco BBI e os coordenadores contratados são BB Investimentos, Santander, JPMorgan, Goldman Sachs e UBS Pactual.


Reserva
A VisaNet informou que o período de reserva de ações da oferta secundária terá início na quarta-feira da semana que vem (dia 17) e se encerrará no dia 24 deste mês. No dia seguinte (25/6), a companhia encerrará o procedimento do livro de ofertas (bookbuilding) e fixará o preço por ação. O prospecto definitivo da operação deverá ser publicado em 26 de junho. O início da negociação dos papéis em Bolsa está previsto para o dia 29 de junho.

A Bradesco Corretora será responsável pela estabilização dos preços do papel durante até 30 dias, contados a partir da estreia da ação na Bovespa. Conforme a VisaNet, a oferta de varejo compreende entre 10% e 20% das ações, excluídos os papéis adicionais e suplementares.

segunda-feira, 8 de junho de 2009

EXPECTATIVAS PARA O COPOM !

Prezados,

O Boletim FOCUS do Banco Central divulgado hoje, dia 08/06/09, confirmou a manutenção das expectativas de inflação abaixo da meta, ao redor de 4,3%, o que abre espaço para a tão esperada redução da SELIC nesta próxima quarta.

E O PIB...
Bom, quanto ao PIB, Produto Interno Bruto, o cenário está pior:  Espera-se um PIB para 2009 NEGATIVO EM 0,71%....

FINAL DO ANO...
E, para o final do ano, hoje, espera-se que Papai Noel traga uma SELIC de 9%.

AGENDA DE EVENTOS DA SEMANA: 08/06/09 - 12/06/09

VIDE FIGURA...

Ibovespa: Sinais de esgotamento?

Prezados,

Esta é uma semana curta para o mercado nacional, pois temos um feriado na quinta e recheada de eventos importantos no cenário mundial...


INVESTIDORES ESTRANGEIROS
Parafrasenado a máxima: "Contra fatos não há argumentos!", para a Bolsa teríamos: "Contra FLUXO DE ESTRANGEIROS não há argumentos, não há quem contrarie!"

Até 03 de junho já temos uma saída importante de cerca de R$ 500 Milhões, é para ficar atento, pois pode ser um importante sinal de esgotamento da força compradora, o que é natural, afinal já subimos praticamente quase a 55 mil pontos em meros seis meses !!!


REGIOES DE SUPORTE
Do lado da realização, o Ibovespa possui suportes em 53.080, 52.640 (forte), 52.080 (fortíssimo), 51.600 e em 50.800 pontos. Este último suporte requeratenção especial, porque a sua perda abrirá caminho para o índice Bovespadescer até os 47.600 pontos sem, no entanto, modificar a tendênciaascendente de médio prazo.

Pão Frio ou seria Açucar Pronto?

Pão de Açúcar surpreende e compra o Ponto Frio

O grupo Pão de Açúcar deve anunciar hoje a compra da rede de varejo de eletroeletrônicos Ponto Frio. A transação foi fechada ao longo do fim de semana e os contratos seriam assinados na madrugada. A aquisição deverá ser paga em uma combinação de ações da Companhia Brasileira de Distribuição (Pão de Açúcar) e dinheiro. Com o negócio, o Pão de Açúcar retoma a liderança do ranking de varejo no país, posição que havia perdido em 2007 para o Carrefour. A diferença que separa o faturamento das duas varejistas de alimentos é de R$ 2 bilhões: o Carrefour faturou R$ 22,5 bilhões em 2008 e o Pão de Açúcar, R$ 20,8 bilhões. No ano passado, a receita bruta do Ponto Frio atingiu R$ 4,7 bilhões.

O interesse do Pão de Açúcar, que pertence ao grupo francês Casino e à família Diniz, era visto com ceticismo, já que o foco da rede até o momento era o de supermercados. O Ponto Frio deve ser mantido como uma operação à parte, mas não se sabe sob qual marca. O processo de venda do Ponto Frio desenrola-se desde o início do ano, sob a coordenação do banco Goldman Sachs. Mas foi em março que se tornou público, por meio de um comunicado da própria empresa, informando a decisão de seus controladores de desfazer-se de suas ações. A empresa, controlada por Lily Safra, viúva do banqueiro Edmond Safra, já estivera à venda em ocasiões anteriores, o que cercou o processo de dúvidas sobre a real disposição de desfazer-se do negócio desta vez. Principalmente em um cenário de crise.

No início, ao menos quatro grupos avaliaram a compra do Ponto Frio. Lojas Americanas, Magazine Luiza, Pão de Açúcar e um consórcio formado pela rede nordestina Insinuante e a BTG, butique de investimentos do ex-banqueiro André Esteves. Além disso, o grupo Silvio Santos declarou seu interesse. A Lojas Americanas deixou o processo em abril. Depois disso, o interesse do BTG foi reduzido quando Esteves recomprou o Banco Pactual das mãos do suíço UBS. O Magazine Luiza continuava no processo, em parceria com o fundo americano Capital International. Havia expectativa de entrega de propostas no final de maio, o que indica que as negociações se aceleraram nas últimas semanas.

No ano passado, a rede Ponto Frio tentou fazer uma oferta de ações com o objetivo de pulverizar o controle da empresa no mercado e, assim, dar liquidez aos papéis dos controlares. Mas os planos tiveram quer ser adiados por conta da crise.

Fonte:
http://www.valoronline.com.br/ValorImpresso/MateriaImpresso.aspx?dtMateria=8/6/2009%200:00:00&codMateria=5609499&codCategoria=89



domingo, 7 de junho de 2009

COPOM a caminho...

Prezados,

Nesta quarta, dia 10 de junho, poderemos assistir a um momento histórico, a provável e esperada redução da Taxa Básica da Economia, a bendita SELIC, para apenas 01 (hum) dígito!

Isso mesmo, o que se espera no mercado é que ela saia dos atuais 10,25% aa para 9,25% aa!

Isto é inacreditável para minha geração... rsss

sexta-feira, 5 de junho de 2009

Resumo desta sexta, dia 05-jun-09

Prezados,

Se por um lado o numero de empregos extintos foi menor que o previsto, por outro a taxa de desemprego ficou acima do previsto, o que serviu de estopim para azedar os animos e fazer a porca torcer o rabo...

VIDEO RESUMO

Resumo da Virada em 04/06/09

Prezados,

A forte correção da véspera (03/06/09) abriu espaço para a Bolsa de Valores de São Paulo (Bovespa) retomar a trajetória de alta hoje (04/06/09), garantida pelos indicadores econômicos que deram fôlego às Bolsas norte-americanas.

O relatório do mercado de trabalho dos Estados Unidos de maio, que sai amanhã, serviu como um limitador - nos EUA, para os ganhos e, na Bolsa brasileira, para o volume de negócios. Na Bovespa, a alta firme do petróleo no mercado internacional deu gás às ações da Petrobras, que conduziram o índice Bovespa ao lado das ações da Vale.

POR AQUI...
O Ibovespa terminou na máxima pontuação do dia, em elevação de 2,64%, aos 53.463,90 pontos. Na mínima, registrou 51.745 pontos (-0,66%).

Em junho, o Ibovespa acumula ganho de 0,50% e, em 2009, de 42,38% (dados preliminares).

O giro financeiro hoje ficou contido - somou R$ 4,587 bilhões (preliminar) -, em razão, principalmente, da cautela dos investidores com o que vai ser conhecido amanhã nos EUA.

As estimativas para o "payroll" (saldo de empregos) são de corte de 525 mil vagas em maio, número bem próximo dos 532 mil postos de trabalho eliminados pelo setor privado em maio, segundo dados da ADP divulgados ontem e considerados uma prévia do relatório oficial.

Hoje, além dos números de pedidos de auxílio-desemprego melhores nos Estados Unidos, também agradaram aos investidores a produtividade da mão de obra no primeiro trimestre, que foi revisada de alta de 0,8% para crescimento de 1,6%, acima das previsões de uma elevação de 1,2%.

LÁ FORA...
Mas os índices em Wall Street não avançaram muito. O Dow Jones terminou o pregão em alta de 0,86%, aos 8.750,24 pontos, o S&P 500 avançou 1,15%, aos 942,46 pontos, e o Nasdaq, +1,32%, aos 1.850,02 pontos. Conduziram os índices os papéis de empresas ligadas aos setores financeiro e de commodities.

E AS COMMODITIES...
As commodities, no caso o petróleo, foi preponderante para a alta do Ibovespa hoje, ao contribuir para a valorização das ações da Petrobras. Os papéis ON (ações ordinária) tiveram valorização de 3,13%, e os PN (preferenciais), de 2,84%. Na Bolsa Mercantil de Nova York (Nymex), a cotação do petróleo no contrato futuro com vencimento em julho subiu 4,07%, para US$ 68,81 o barril.

Pressionou a commodity a elevação da estimativa de preço do petróleo (tipo WTI) pelo Goldman Sachs, para US$ 75 o barril em três meses. O banco previu ainda que a commodity chegará a US$ 95 ao fim de 2010, com base nas previsões de uma volta da escassez de energia.

Depois de um início hesitante, Vale também terminou em alta, influenciada pelo desempenho dos metais. Tanto a ação ON quanto a PNA avançaram 2,27%. Os ganhos aumentaram na hora final do pregão.

É ISSO AÍ.. AMANHÃ PROMETE....

quinta-feira, 4 de junho de 2009

O que será que será??

Prezados,


Na ultima postagem há exatos 41 dias atrás, comentei as razões que me levavam a pensar que a Bolsa iria supreender.

Pois bem, saímos de cerca de 46.000 pontos para fecharmos, hoje, dia 04/06/09, em exatos 53.463 pontos, isto é, uma valorização de mais de 16%!

Havia dito também na ocasião a seguinte frase: “Ainda há pechinchas no mercado.. A hora de aproveitar é essa.. depois quando a Bolsa voltar a 60.000 pontos (e não creio que seja muito difícil ela nos surpreender... Aliás, o mercado financeiro é useiro e vezeiro neste quesito...).. não vá chorar pitangas!”

E QUAL O SEGREDO?
Bem, não há segredos, como disse na mesma ocasião basta juntar as peças do quebra-cabeça, pois se tem 4 patas, balança o rabo e late, meu caro, só pode ser cachorro!

PRINCIPAL TRIGGER (GATILHO) DO MOVIMENTO DE ALTA
Desde abril o fluxo de investidores estrangeiros está BOMBANDO!!! Só não ver quem não quer, razão pela qual o dólar já está abaixo de 1,96!!!

Surreal? Não, é economia simples e pura! Acredito tanto na lei da gravidade quanto na lei da oferta e demanda, e se mais dólares entram no pais, o real naturalmente se valoriza...

E DAQUI PRA FRENTE?
Bom, passado o primeiro grande teste dos 53 mil pontos, a Bolsa precisa agora romper os 55.000 para buscar 57.000 e quiçá os 60.000 pontos.

Hoje, inclusive, o Goldman Sachs já projeta o petróleo até o final de 2009 em US$ 89 o barril, e para 2010 em US$ 90.

As commodities, em geral, estão se valorizando o que beneficia em muito nossas principais ações, leia-se VALE e PETROBRAS.

Contudo, a CRISE não acabou! E a mesma mão que hoje está nos acariciando, pode a qualquer momento nos esbofetear, portanto o mais importante neste momento é acompanhar de perto o fluxo de investimento de estrangeiros, enquanto houver ingresso chuchu beleza, quando houver uma debandada forte, aí meu caro, se segura malandro... melhor tirar o time de campo rapidinho e esperar outra janela de oportunidade para voltar.

No mais, antes de comprar ações avalie seus fundamentos (se pensar em um período de tempo maior), se quiser especular não deixe de ver sua evolução gráfica e utilize os conhecimentos da Analise Técnica para avaliar um bom ponto de entrada.

SETORES PROMISSORES
Bom, se nada desandar, penso que na construção civil, nas empresas que focam a baixa renda ainda há oportunidades de entrada (Rossi, MRV, por exemplo), na siderurgia (Gerdau por exemplo), Financeiro (a ação da própria Bolsa – BVMF3 – por exemplo).

Agora, antes de se aventurar, pense, pondere, avalie, pois a Bolsa de Valores não é um lugar para testes, antes disso use simuladores, há vários (da Folha até o Simula Bolsa).

No mais, desejo a todos BON$ INVE$TIMENTO$!

Homenagem

Prezados,

Tenho, honestamente, estado ocupado em um sem número de afazeres, e peço desculpas por não ter dado a merecida atenção ao Blog.

Como muitos sabem, tivemos nesta semana a notícia de um fatídico acidente, o do vôo da Air France, o de número 447.

Como leciono para a PUC RIO, tive a oportunidade de conhecer o meu caríssimo colega Prof. Dr. José Roberto Gomes, o qual estava a caminho de um seminário na França e foi uma das vítimas deste fatídico vôo.


Minha convivência com o Zé Roberto, como carinhosamente muitos o chamavam foi sempre pautada pelo seu bom humor e educação aguçada, não menos marcante que sua capacidade intelectual. Zé Roberto é um dos primeiros Doutores do IAG da PUC Rio, uma escola de excelência.

Esta postagem é para render a devida HOMENAGEM a esta bela e ilustre figura, que certamente deixará saudades.

Para nós que ficamos, resta a reflexão de que a morte, por mais certa que seja, sempre chega adiantada e inadvertidamente no momento inoportuno....

Querido Zé Roberto, que os anjos do céu o tenham acolhido....